08-02-18

Hoe getrouwde mensen (niet met elkaar) het liefst de liefde bedrijven

São muitas as justificativas dadas pelas pessoas quando cometem uma traição. Às vezes, o problema está na insatisfação com o relacionamento ou na falta de atenção por parte da outra pessoa, mas há situações em que a coisa é puramente física. Você provavelmente já ouviu aquele papo de que, seja pelo risco de serem descoberto, pela sensação do proibido ou pela possibilidade de ir além do que ocorre com o cônjuge na hora H, o sexo entre amantes é mais “caliente”. Sendo assim, o Ashley Madison – site para quem busca relacionamentos extraconjugais – realizou uma pesquisa para saber o que há de tão diferente no sexo entre amantes, levantando as posições sexuais mais comuns entre eles.

Para descobrir se o sexo entre amantes é mais picante, o site levantou quais as posições sexuais preferidas por eles
Shutterstock
Para descobrir se o sexo entre amantes é mais picante, o site levantou quais as posições sexuais preferidas por eles

De quatro/cachorrinho

A posição em que a mulher fica de quatro e o homem a domina fica em primeiro lugar para homens e mulheres
Renato Munhoz (Arte iG)
A posição em que a mulher fica de quatro e o homem a domina fica em primeiro lugar para homens e mulheres
 

Segundo a pesquisa – realizada com mais de 1,7 usuários ativos do site –, parece que homens e mulheres que traem têm um gosto parecido para posições sexuais . Para 53% deles e 58% delas, a posição em que a mulher fica de quatro e o homem a penetra por trás é a “queridinha” entre amantes. Além de permitir uma penetração mais profunda, esta posição faz com que o homem fique no controle da situação.

Ela por cima

Esta posição posição - em que a mulher fica por cima e dita o ritmo da transa - também aparece nas listas
Renato Munhoz (Arte iG)
Esta posição posição - em que a mulher fica por cima e dita o ritmo da transa - também aparece nas listas

Outra posição que entra na lista das preferidas em relacionamentos extraconjugais é a “cowgirl”, em que o homem se deita de barriga para cima e a mulher se encaixa nele, ditando o ritmo da transa. E parece que, mesmo a primeira opção dos homens seja uma em que eles têm o controle, eles também curtem ser dominados. A prova disso? Esta posição vem em segundo lugar para eles, conquistando 32% dos votos. Porém, a coisa muda um pouco de figura para as mulheres. No caso delas, esta posição fica em penúltimo na lista, com 23% dos votos.

Papai e mamãe

Apesar de básica, a clássica papai e mamãe também é uma posição popular entre amantes
Renato Munhoz (Arte iG)
Apesar de básica, a clássica papai e mamãe também é uma posição popular entre amantes

Apesar de ser uma posição mais básica da qual muita gente costuma reclamar, a opção em que a mulher se deita de barriga para cima e o homem se posiciona entre as pernas dela aparece em terceiro lugar para eles (com 31% dos votos) e em segundo lugar para elas (com 29% dos votos). 

69

O 69, posição em que os parceiros fazem sexo oral um no outro ao mesmo tempo, aparece apenas na lista dos homens
Renato Munhoz (Arte iG)
O 69, posição em que os parceiros fazem sexo oral um no outro ao mesmo tempo, aparece apenas na lista dos homens

Esta opção parece ser um fetiche para eles, já que só aparece entre as preferidas pelos homens. Com 26% dos votos, a posição em que o casal se acomoda em posições contrárias e fazem sexo oral um no outro simultaneamente vem em quarto lugar para eles. Para muitos, esta posição é um bocado prazerosa, mas há quem ache complicado prestar atenção em duas coisas ao mesmo tempo.

Pernas por cima dos ombros

Nesta opção, a mulher fica deitada de barriga para cima e apóia as pernas sobre os ombros do parceiro
Renato Munhoz (Arte iG)
Nesta opção, a mulher fica deitada de barriga para cima e apóia as pernas sobre os ombros do parceiro

Uma variação do papai e mamãe, outra posição que entra tanto na lista feminina quanto na masculina é a que a mulher fica deitada de barriga para cima e, enquanto o parceiro a penetra, ela fica com as pernas para o alto, apoiadas sobre os ombros dele. Esta opção recebeu 26% dos votos masculinos e 23% dos femininos, ficando em último lugar na lista deles e em terceiro na lista delas. Para quem gosta de uma penetração mais profunda , é uma boa ideia, mas é preciso ter flexibilidade!

Pernas para cima

Nesta posição, que só aparece na lista feminina, a mulher fica deitada de barriga para cima e com as pernas erguidas
Renato Munhoz (Arte iG)
Nesta posição, que só aparece na lista feminina, a mulher fica deitada de barriga para cima e com as pernas erguidas

Esta é uma opção que entra apenas na lista das posições sexuais preferidas por elas. Nela, a mulher se deita de barriga para cima e mantém as pernas esticadas para o alto enquanto o homem se posiciona na frente dela e a penetra sentado na cama ou até de joelhos. Aqui, a penetração não é tão profunda e fica fácil para que a mulher possa estimular o clitóris durante a transa.

E com os parceiros?

No levantamento, o site também procurou saber as principais diferenças entre o sexo em um relacionamento e o sexo em uma relação extraconjugal, e, para isso, os entrevistados também contaram qual posição é mais recorrente com os cônjuges. Sem surpresas, a mais citada tanto pelas mulheres quanto pelos homens entrevistados foi a papai e mamãe, que ficou com 53% dos votos.

Aparentemente, a diferença também não está na qualidade do sexo em si, mas na variação. Enquanto 55% das pessoas entrevistadas pela pesquisa dizem sempre testar novas posições sexuais com o parceiro ou parceira, essa experimentação ocorre bem mais entre amantes, já que o número de pessoas que afirmam testar novas possibilidades em um relacionamento extraconjungal pula para 93% dos entrevistados.

Também há algumas diferenças quando o assunto é o uso de brinquedos eróticos. Ao contrário do que muita gente pensa, esse tipo de acessório não precisa necessariamente ser usado em noites solitárias e pode, sim, ser um belo companheiro para o casal, aumentando o prazer dos dois na cama. Mesmo assim, enquanto mais da metade (62%) das pessoas entrevistadas pela pesquisa incluem “sex toys” em relações extraconjugais, apenas 38% o fazem com parceiros fixos.

Além das posições sexuais e da experimentação, há ainda algumas diferenças no quanto as pessoas se empenham umas pelas outras em uma relação fechada e em um relacionamento extraconjugal. Na hora do sexo oral –  prática considerada indispensável pela maioria em qualquer tipo de relação –, por exemplo, 77% dos entrevistados afirmam se dedicar ao cônjuge e 68% dizem receber dele. Entre amantes, porém, as coisas mudam e a dedicação aumenta, já que 90% dos consultados dizem fazer oral nos parceiros e 94% recebem.

09:02 Gepost door RD | Commentaren (0) |  Print

De commentaren zijn gesloten.