Museu abriga tipos de pênis de 93 espécies animais do mundo todo; exposição ainda conta com seção dedicada a órgãos de seres mitológicos.

Inaugurado em 2011, o Icelandic Phallogical Museum, que abriga 282 tipos do órgão masculino de 93 espécies
Icelandic Phallological Museum. Inaugurado em 2011, o Icelandic Phallogical Museum, que abriga 282 tipos do órgão masculino de 93 espécies.
 

A cidade islandesa de Reykjavik vem atraindo curiosos por ser lar do maior Museu do Pênis do mundo, o “Icelandic Phallogical Museum”. Inaugurado em 2011, o local, que abriga 282 tipos do órgão masculino de 93 espécies diferentes de animais do mundo todo, tem alavancado o turismo do vilarejo de 120 mil habitantes. 

“Alguém tinha que construí-lo um dia”, explica o professor e historiador Sigurdur Hjartarson, fundador do museu ao site "The Mirror". Os visitantes que têm a oportunidade de visitar a exposição podem se deparar desde um enorme pênis de dois metros, de uma baleia, até um minúsculo órgão, de um hamster.

Além disso, os curiosos podem descobrir como é o pênis dos mais variados tipos de animais: dos ursos polares, dos golfinhos, dos peixes e dos elefantes, que são exibidos eretos na parede do local.

Os visitantes ainda têm acesso a uma seção dedicada à exposição dos pênis de seres mitológicos, como duendes e sereios, segundo explicou o curador do museu.

Hjartarson é fanático pelo órgão masculino desde 1974, quando, então, passou a colecioná-los.

“Quando era criança, tinha um professor que trabalhava em um aquário. Um dia, ele me trouxe o pênis de uma baleia e aquilo me deixou curioso para descobrir como seriam os órgãos de outras espécies”, conta.

Quando foi inaugurado, em 2011, o local recebeu 12 mil visitantes. Mas esse número passou a aumentar com o crescimento de espécies em exibição que instigou a curiosidade de turistas ao redor do globo.

Ironicamente, a única réplica de pênis que faltava era a de um ser humano. Mas o problema foi resolvido quando um amigo de Hjartarson declarou, antes de morrer, aos 95 anos, que gostaria que seu órgão íntimo fosse doado ao museu.

“O assunto é tabu, mas estamos crescendo. Quando você diz ‘pênis’, isso atrai as pessoas”, afirma Hjortur Sigurdsson, filho de Hjartson, que ajuda na administração do local.

Museu conta com uma loja especial de lembrancinhas que vendem desde camisinhas personalizadas a miniatura de pênis