04-06-16

Gerentes Industriais

Sérgio M. Fernandes

 

Trata-se de um sujeito aparentemente bem intencionado e honesto, apesar de ter cometido diversos erros na condução industrial do "Jornal Do Commércio", de Recife. Ter comprado três impressoras diferentes para a impressão do jornal, durante um prazo inferior a dez anos, prova isto. Máquinas para esta finalidade, mesmo do tipo offset, demoram mais de trinta anos para serem desativadas, basicamente porque são carris simas na sua aquisição, porém são das mais ociosas, funcionando apenas algumas poucas horas por dia. Por outro lado, nem a ultima estará servindo por muito mais tempo, por se tratar de uma impressora com tecnologia ultrapassada, oriundo da Alemanha Oriental, exigindo muitos funcionários, tanto para a sua operação, quanto para a sua manutenção. A compra de mais outra impressora, em breve, terá de ser considerada.

 

Capibaribe Neto

 

Trata-se de um fotografo originalmente funcionário do jornal "Tribuna do Ceará", de Fortaleza, posteriormente contratado pelo Sr. Edson Queiroz, empresario e empreendedor, que resolveu lançar o seu próprio jornal “Diário do Nordeste”, embora já era sócio do primeiro, para ser seu Diretor Industrial. Como o Capibaribe falava um pouco de inglês, ele foi destacado como tradutor do Fred Lunt, montador da GOSS (MGD), durante a instalação de uma das primeiras maquinas impressoras offset, modelo Community, instaladas no nordeste do Brasil e com isto passar a entender alguma coisa sobre impressão, também. Até hoje se orgulha de possuir este conhecimentos de fotografo e para tanto não hesita em mostrar, para as suas visitas, dezenas de fotos tirados principalmente de moças japonesas nuas, em poses eróticas, todas com cara de menor.

 

Este, certamente, se deixa seduzir por dinheiro, quando é encarregado de elaborar estudos para a compra de novas rotativas.

 

João Pojucan

 

Trabalhar para o maior contrabandista do norte do país, não é exatamente a melhor referencia. Ajudou a comprar rotativas trazidas ilegalmente pela "Folha de São Paulo" em geral e pelo Octavinho, em particular, que não serviam nem para a "FSP" e nem para "O Liberal". Ambos as passarem para frente, poucos anos depois da sua compra, apesar de possuir uma vida útil próximo de trinta anos. 

08:45 Gepost door Rudoris | Commentaren (0) |  Print

De commentaren zijn gesloten.