22-04-11

T. Janér - O Poder da Imprensa Maldita

Seria tão bom que os partidos de oposição ao atual Governo explicassem como conseguirem o apoio de praticamente toda a Imprensa Brasileira, escrita, televisionada e falada, que sempre foi e continuará sendo, completamente incorruptível (graças aos altos índices de ética, sinceridade, honestidade e imparcialidade, exigidos pelos partidos polícos que os sustentam), para o segundo mandato do Fernando Henrique Cardoso, no ano de 1997.

 

Foi evidentemente coincidência simples e pura, por exemplo, no caso dos "Diários Associados" (proprietária dos jornais: Correio Braziliense, Estado De Minas, Diário De Pernambuco, Jornal Do Commércio - Rio, O Imparcial - São Luis, Diário Do Natal, Diário Do Borborema - Campina Grande, O Norte - João Pessoa, alem de mais alguns outros, menores), quando o FHC instruiu os advogados da União a não mais recorrer de um processo que corria na Justiça, iniciado pelo Radio Clube De Pernambuco, contra o Governo Federal, durante o Governo do João Batista Figueiredo, que, colocado sob pressão do Roberto Marinho (O Globo), resolveu liquidar toda a Rede Tupi (quem não se lembra desta barbaridade, nos anos setenta), incluindo muitas das suas estações de Radio, sob o argumento simples de que elas eram deficitárias e que, para o bem de todos, era melhor fechá-las de vez. Este tal “Radio Clube de Pernambuco”, sem expressão alguma, nacionalmente, alegou, entretanto, que não era deficitária coisa nenhuma e por isso procurou na Justiça, com todo o seu direito, uma ação indenizatória, alem de outras ações corretivas.

 

Numa certa altura, o governo do FHC, que poderia rolar este processo na área da Justiça Federal, indefinidamente, resolveu não mais postergar e/ou protelar o pagamento da indenização, calculada por “aqueles especialistas especiais”, absolutamente isentos e sem interesse algum, em cerca de R$ 220.000.000,00 (Graças a Deus, na Justiça Brasileira, tudo é possível) equivalente naquela ocasião a 220.000.000,00 de dólares, aos reclamantes, solicitando, entretanto (mas sem recibo passado), em contrapartida, o apoio maciço de todo o grupo dos Diários Associados, sob a liderança do então Presidente Paulo Cabral (e quem poderia resistir a um apelo destes), a sua própria reeleição, o que foi feito, sem maiores magoas e arrependimentos, por nenhuma das partes envolvidas.

 

Concordar em pagar US$ 220.000.000,00 a titulo de indenização (paga pela União, em setembro de 1997) ao Rádio Clube de Pernambuco S/A, empresa que pertence ao Condomínio Associados, que sinceramente, nunca faturou mais do que uma fração do que um por cento disso, por ano, evidentemente, é mais do que uma simples indenização; é uma doação inescrupulosa, chupada dos cofres públicos (feito a doação de um monte de empresas pertencentes ao Estado Brasileiro, em termos mais impressionantes ainda) para um grupo de pessoas, da iniciativa privada, apenas para fins políticos e comerciais particulares.

 

Apenas utilizando o rendimento deste dinheiro e/ou oferecendo-o em garantia para empréstimos bancários, comprarem novas maquinas para todos os jornais do grupo, num investimento total geral de cerca de US$ 50.000.000,00 alem de permitir a construção de novas sedes para praticamente todos os jornais do grupo (o que é que uma indenizaçãozinha desta não pode fazer, éh), quando no final ainda sobrou uma quantia incalculável, disputado na Justiça com o Sr. Gilberto Chateaubriand, filho do fundador Assis Chateaubriand e herdeiro, que era acionista minoritário da Rádio Clube e que queria que a indenização total tivesse sido rateada entre os acionistas da empresa e que viu o trem passar, sem poder pular nele.

 

Porque o Governo atual não tem feito o mesmo, perdendo tempo em ajudar famílias pobres, alem do Nordeste como um todo, com aqueles poucos recursos escassos, constantemente ameaçados pelos amigos do FHC, do PSDB.

 

Afinal, ainda existe outro processo correndo na mesma Justiça Federal, iniciado igualmente pelo “Radio Clube Do Ceará”, outro integrante do Grupo Associado, fechado também pelo regime militar, na mesma época e com a mesma finalidade e que, nesta altura, deverá estar podendo gerar uma indenização alcançando mais outro bilhão de reais...??

 

A titulo de esclarecimento para os leigos, o Condomínio do grupo “Diários Associados” que hoje reúne cerca de 10 jornais, 12 emissoras de rádio e sete de televisão, alem de novas mídias, foi criado por Assis Chateaubriand em 1958. Ele escolheu 23 funcionários e lhes doou a maioria de suas ações naquele que era, na época, o maior império de comunicação da América Latina. A decadência começou com a extinção da Rede Tupi de Televisão na década de 70, como já foi mencionado anteriormente, pelo regime militar, sob a pressão do grupo “O GLOBO”, até hoje, beneficiário desta ação ditatorial, com fins absolutamente inconfessáveis e esdrúxulos, apesar da sua eterna postura de “pura”.

20:47 Gepost door Rudoris | Commentaren (0) |  Print

De commentaren zijn gesloten.